11.jpg12.jpg13.jpg14.jpg15.jpg16.jpg17.jpg18.jpg19.jpg20.jpg21.jpg22.jpg23.jpg24.jpg25.jpg26.jpg

Português

Do livro: "Saciedade do Poetas Vivos", vol.VII, Blocos, 1995
 RJ


Querer definir minha sede
é decifrar a origem do sol,
fluidos lúcidos,
horizontais verticais.
Eu te previno:
sou remanso, sou rumor;
nutrida de êxtase
sou gota de amor.
Agrido e preciso,
diluo e me vou.
Ah, mas este grito aflito
em posição de cor
alerta a fonte úmida
e te atinge na barreira
que cresce
levitando o som.

SOLIDÃO-No livro Saciedade dos poetas vivos-RJ
Os anbsoc5 que pintam cores
por detrás da música
acolhem o fogo com tanta intensidade
que já não vejo inocência
nos desafios que me completam.
É como se o coração, condenado,
não admitisse a alma
e procurando perder-se
fechasse os sentimentos
onde não passa a sabedoria.


MEU ANJO DA GUARDA
Meu anjo da guarda
parece ter as asas cortadas.
Vem como barco
prá me salvar
aqui
onde estou ancorada.
Olha o meu íntimo
e desamarra as possibilidades.
Não se doma a consciência.
 

 
Copyright © 2009 Solange Maria Soccol. Todos os direitos reservados.
Proibido copiar ou reproduzir este material sem autorização.
Criação: Uniserra.Com